Experiência da vida real do tratamento medicinal com cannabis no Autismo

Houve um aumento dramático no número de crianças diagnosticadas com transtornos do espectro do autismo (TEA) em todo o mundo. Recentemente, surgiram evidências anedóticas de possíveis efeitos terapêuticos dos produtos de cannabis. O objetivo deste estudo é caracterizar a epidemiologia de pacientes com TEA recebendo tratamento com cannabis medicinal e descrever sua segurança e eficácia.

Analisamos os dados coletados prospectivamente como parte do programa de tratamento de 188 pacientes com TEA tratados com cannabis medicinal entre 2015 e 2017. O tratamento na maioria dos pacientes foi baseado em óleo de cannabis contendo 30% de CBD e 1,5% de THC. Inventário de sintomas, avaliação global do paciente e efeitos colaterais em 6 meses foram os desfechos primários de interesse e foram avaliados por questionários estruturados.

Após seis meses de tratamento 82,4% dos pacientes (155) estavam em tratamento ativo e 60,0% (93) foram avaliados; 28 pacientes (30,1%) relataram uma melhora significativa, 50 (53,7%) moderada, 6 (6,4%) leve e 8 (8,6%) não tiveram nenhuma mudança em sua condição. Vinte e três pacientes (25,2%) apresentaram pelo menos um efeito colateral; a mais comum foi a inquietação (6,6%).

A cannabis em pacientes com TEA parece ser uma opção bem tolerada, segura e eficaz para aliviar os sintomas associados ao TEA.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nosso Catálogo de Produtos

Por favor, preencha seus dados para receber o material.